Menu

Empresas com propósito são mais fortes

Autor: Bruna Gomes

 

Escritório

De tempos em tempos, nós do Bem Infinito, conversamos sobre o propósito do que estamos construindo. Esse é um questionamento válido para quem tem a própria empresa e para quem trabalha como funcionário também.

O que te faz levantar da cama todos os dias, enfrentar o frio, o trânsito e fazer o que você faz? São tantos obstáculos e dificuldades a vencer, que se você não tiver muito claro o porquê você faz isso, o trabalho acaba se tornando algo sofrido e o resultado é mediano.

Para ter um ambiente saudável e produtos que cativem, é importante ter propósito. No caso do Bem Infinito, queremos fazer diferença na vida das pessoas, potencializar o que elas têm de melhor. Acreditamos que juntos podemos ir mais longe e transformar o mundo em um lugar mais acolhedor de maneira bem concreta.

Ter esse objetivo bem definido ajuda as pessoas a trabalharem de maneira mais produtiva, conseguirem energia para se superarem sempre e ainda faz com que as empresas ocupem um lugar especial na vida dos consumidores. Para nós, acreditar que podemos impactar positivamente a vida das pessoas nos dá forças para continuar lutando.

Simon Sinek, especialista em liderança, dá uma aula no TED “Como grandes líderes inspiram ação“. Em um vídeo de 18 minutos ele explica como grandes marcas e personalidades comunicam o seu propósito. Ao usar exemplos de como Apple, Martin Luther King e os irmãos Wright fizeram história ele mostra claramente a força de um propósito claro. Não importa como você faz, mas sim, porque você faz.

O filósofo Mário Sérgio Cortella conta, na palestra “Qual é a tua obra” (de pouco mais de 40 minutos), uma história da época em que ele trabalhou como Secretário Municipal de Educação de São Paulo. De uma maneira bem simples Cortella fez com que a senhora que servia café e o menino que fazia as fotocópias dos documentos percebessem que o trabalho deles ia muito além dessas atividades. Ele pediu que esses funcionários o acompanhassem em uma das visitas às escolas, com direito a carro oficial, banda e tudo. A senhora que sempre serviu, foi servida e o menino foi tratado como senhor, afinal, eram assessores do Secretário.

No fim da experiência, Cortella explicou a eles que o café que a senhora servia todos os dias o ajudava a preparar o ambiente para reuniões importantes que proporcionavam tudo o que eles estavam vendo. E que sem os documentos que o menino fotocopiava não seria possível fechar os contratos. No fim do dia, eles não estavam servindo café ou tirando cópias, mas sim, fazendo educação. Isso deu propósito a eles e o trabalho passou a ter outro sabor.

E você? Qual é o seu propósito?